Capas e Sinopses dos 3 primeiros livros

Posted on 26/08/2010


Os Contos Completos de Ambrose Bierce, Tradução de João Reis

Ambrose Bierce (1842 – 1914) foi um dos maiores escritores norte-americanos de sempre. A sua produção literária é muito vasta, passando pela escrita jornalística,textos humorísticos, ensaios, fábulas e contos. Os contos que nesta edição se reúnem,92 no total, são todos os que dele se conhecem. A presente obra constitui a primeira compilação e tradução integral dos seus contos em Língua Portuguesa. Com um tom sarcástico e um estilo muito negro polvilhado de humor, pelas suas histórias perpassa tanto o sobrenatural quanto o terror psicológico ou a afirmação de uma posição pacifista originada pela sua vivência na Guerra Civil. Os seus contos de guerra e as suas reviravoltas narrativas são, ainda hoje, uma referência para os estudiosos da Literatura dos Estados Unidos.

Leia aqui as primeiras páginas:

Os Contos Completos de Ambrose Bierce – Primeiras Páginas

 

 

A Violação das Mulas, Maria O.

Maria O. nasceu em Vila Nova de Gaia há mais de 20 anos.
Tem escrito muito.
Ainda está viva.

Panascas, putas e políticos.
Uma vila portuguesa.
Uma escultura polémica.
Um retrato do cu da Europa: Portugal no seu melhor.

 

UM LIVRO SARCÁSTICO, ENVOLVENTE E MORDAZ. Já imaginou um guião à la Quentin Tarantino dos velhos tempos, mas escrito por uma portuguesa?
A história de uma vila portuguesa e da polémica criada em torno de uma escultura. Políticos corruptos, falsos moralistas, promiscuidade e reviravoltas surpreendentes num livro irónico e divertido.

Leia aqui as primeiras páginas:

A Violação das Mulas – Primeiras Páginas

 

 

O Cortiço, Aluísio Azevedo

Aluísio Azevedo nasceu a 14 de abril de 1857 e morreu em 21 de janeiro de 1913. O seu romance O Mulato é tido como um ponto de viragem na estética literária brasileira, fugindo dos cânones românticos e inaugurando o naturalismo que mais evidente se tornaria em obras como Casa de Pensão e O Cortiço. Neste romance, um clássico da literatura brasileira, através de uma linguagem que conjuga a erudição com um registo coloquial, é feito um retrato da sociedade brasileira oitocentista, de uma forma jocosa e muito controversa para as mentalidades de então.

«Uma bela noite, porém, o Miranda, que era homem de sangue esperto e orçava então pelos seus trinta e cinco anos, sentiu-se em insuportável estado de lubricidade. Era tarde já e não havia em casa alguma criada que lhe pudesse valer. Lembrou-se da mulher, mas repeliu logo esta ideia com escrupulosa repugnância. Continuava a odiá-la. Entretanto este mesmo facto de obrigação em que ele se colocou de não servir-se dela, a responsabilidade de desprezá-la, como que ainda mais lhe assanhava o desejo da carne, fazendo da esposa infiel um fruto proibido. Afinal, coisa singular, posto que moralmente nada diminuísse a sua repugnância pela perjura, foi ter ao quarto dela.»

Leia aqui as primeiras páginas:

O Cortiço – Primeiras Páginas

Anúncios
Posted in: Sem categoria