“A Arte de Chorar em Coro”, de Erling Jepsen – Sinopse e primeiras páginas

Posted on 09/09/2011


Título: A Arte de Chorar em Coro

Autor: Jepsen, Erling

Data de Publicação: outubro de 2011
ISBN: 978-989-8443-12-0

248 páginas, brochado, formato A5, impresso em papel IOR 80g

Ficção Estrangeira: Romance

PVP: 16,43 €
———————————————————————————————————

Erling Jepsen nasceu em 1956, na Dinamarca. Iniciou-se na escrita com peças de teatro em 1977 e a sua estreia enquanto romancista deu-se em 2002 com A Arte de Chorar em Coro, romance que veio a ser adaptado ao cinema e premiado em vários festivais. A sua obra tem recebido inúmeras críticas positivas e um grande reconhecimento no seu país natal, assim como em vários outros, onde está já traduzida.

Narrada por uma criança de onze anos, A Arte de Chorar em Coro apresenta-nos, através de um olhar tão ingénuo quanto perturbador, uma vila rural da Dinamarca de finais dos anos sessenta e uma família que, embora seja completamente disfuncional, é encarada pela personagem principal com toda a normalidade.

Erling Jepsen narra, com um enorme talento para o sarcasmo e o humor negro, as tentativas de um menino em ajudar o seu pai (que padece de «nervos psíquicos») naquilo que ele melhor sabe fazer: discursos fúnebres.

«Um romance muito invulgar – triste, divertido, aterrador e impossível de largar.»

    Marianne Eilenberger, in B.T.

«Raramente se serve uma peça de mordaz realismo social de um modo tão atraente e com uma sensibilidade tão genuína.»

Henriette Bach Lind, in Jyllands-Posten

«Não há absolutamente nada para rir no original thriller caseiro de Erling Jepsen. Simplesmente, não se consegue evitar.»

Lise Garsdal, in Politiken

A Arte de Chorar em Coro – Primeiras Páginas

(clicar no link para ler as primeiras páginas)

Página oficial do livro no facebook: A Arte de Chorar em Coro no facebook

«Este brilhante romance do dinamarquês Erling Jepsen, com toda a sua crueldade e ternura, compaixão e repulsão, é uma crítica ferocíssima a um mundo pervertido, à hipocrisia e à violência que por vezes, dissimuladas sob diferentes formas, incluindo a de ritos religiosos, se escondem na seriedade da instituição familiar. A história, por vezes de um naturalismo grotesco, contada pela voz ingénua de uma criança – mas de que, ao mesmo tempo, não está ausente um olhar perturbado e perturbante – vai descrevendo a monstruosidade sem a perceber, levada por uma espécie de amor cego (ou fé) pelo pai.»

José Riço Direitinho, Ípsilon

«Nesta história conjuga-se a capacidade de um escritor entrar na cabeça de uma criança e o engenho de provocar no leitor as gargalhadas mais divertidas.»

Jornal de Letras

«Um interessante contraste entre a simplicidade da voz narrativa e a complexidade do conteúdo. E uma leitura impressionante.»

Carla Ribeiro

Recensões:

Ípsilon (Público) de 4 de novembro de 2011.

(Clique para aumentar.)

Também pode ser lida seguindo este link: A Arte de Chorar em Coro no Ípsilon

Entrevista a ERLING JEPSEN, autor de A Arte de Chorar em Coro, saída no Ípsilon de 11  de novembro de 2011 (por José Riço Direitinho).

(Clique para aumentar.)

Também pode ser lida seguindo este link: Entrevista a Erling Jepsen no Ípsilon

Jornal de Letras (edição de 19 de outubro a 1 de novembro de 2011).

Recensão no Diário Digital (por Pedro Justino Alves). Para ler aqui: A Arte de Chorar em Coro no Diário Digital

Recensão na PNET Literatura (por Mário Rufino). Para ler aqui: A Arte de Chorar em Coro na PNETLiteratura

Carla Ribeiro, no seu blogue As Leituras do Corvo. Para ler aqui: Recensão a A Arte de Chorar em Coro no As Leituras do Corvo (link)

Advertisements
Posted in: Sem categoria