“Os Cães”, de Ola Nilsson – Sinopse e Primeiras Páginas

Posted on 08/03/2012


Título: Os Cães

Autor: Ola Nilsson

Tradução: João Reis

Data de Publicação: março de 2012

ISBN: 978-989-8443-14-4

130 páginas, brochado, formato A5, impresso em papel IOR 90g

Ficção Estrangeira: Romance

PVP: 13,78 €

—————————————————————————————

Ola Nilsson, vencedor do Prémio Literário Norrland, em 2010, nasceu na Suécia em 1972 e é, hoje em dia, um dos autores mais promissores do seu país. O seu estilo cruel e minimal capta genialmente a vida de pessoas inadaptadas e o modo como estas se tentam integrar.

Os Cães aborda a vida de alguns jovens no escuro e frio nordeste da Suécia, numa pequena localidade onde uma ponte marca o dia-a-dia da comunidade. A ponte – símbolo da decadência da região e da entrada no mundo moderno – é o local de encontro dos jovens que, não tendo mais para onde ir e lidando com problemas de álcool, aí se juntam. Apesar do alcoolismo, das perigosas relações sexuais e da falta de orientação, existe, ainda assim, uma vontade constante de sobreviver, alimentada pela ansiedade e esperança de uma outra vida. Uma história cruel, violenta e emotiva a que não se consegue ficar indiferente.

«O estilo de Nilsson é sereno, tendo, por vezes, algum humor lacónico, mas sem nunca resvalar para sentimentalismos sobre o modo de vida das personagens: alcoólicos empedernidos que ainda não saíram da adolescência. Lembra Lars Görling: a poesia na brutalidade e na pobreza, a beleza presente na vida miserável. Os Cães de Ola Nilsson é um grande romance: contido no seu estilo curto e simples, mas com um alcance enorme.»

Hallands Nyheter

«Nilsson escreveu um tipo de livro noir de Norrland, com mosquitos e abates ilegais, borras de café e condições duras, álcool e uma impressionante taxa de acidentes. (…) A escrita de Nilsson é confiante e controlada, com frases curtas que, por vezes, dão início a uma divagação quase poética… Pode ler-se Os Cães como uma pungente descrição do alcoolismo adolescente, da falta de contacto interpessoal, e da miséria das regiões pouco povoadas. Mas pode também ser lido como uma das perspetivas do dilema universal de como nos devemos adaptar num mundo cruel.»

Kristianstadsbladet

Leia aqui as primeiras páginas: Os Cães – primeiras páginas

«A febre de ser novo contrapõe-se, de modo prodigioso, à firmeza de uma escrita capaz de dar a desolação sem desmaiar, nem deixar esmorecer o rigor da construção. Como uma navalha, tem sempre um lado que corta e um que é cego – «Vira a cara para o vento e deixa-se ser acariciado enquanto emborca metade da cerveja com um trago» (p.67) Assim, em vez de sentimentalismo e moralidade, a crueza sóbria de certo real. Livre de aditivos.»

(Hugo Pinto Santos, Time Out Lisboa)

«Um estranho livro que nos chega do frio. (…) o facto é que Os Cães, uma novela de pouco mais de 100 páginas, se apresenta como uma excelente surpresa. Num registo que combina poesia e crueldade, remete-nos para geografias perdidas do nordeste da Suécia (…) A novela varia entre um realismo duro e imediato e divagações subtis e enigmáticas (…) O melhor do livro é a voz de Ola Nilsson: contida e desprovida de sentimentalismo, mas ainda assim cheia de empatia. Curta. Certeira. (…) Retrato de uma Suécia desconhecida para a maioria de nós, Os Cães dá o salto para o universal e fala-nos da morte e do envelhecimento a partir do ponto de vista de adolescentes anestesiados pelo vazio. (…) As descrições são quase gráficas. Como um combate de punhos e palavras em câmara lenta.»

(Ana Cristina Leonardo, Expresso)

«Neste romance notável, o escritor sueco Ola Nilsson consegue desenhar, a traço fino, a complexa cartografia do desespero e da angústia de uma singular matilha humana, com os seus jogos hierárquicos, os seus fracassos e as suas muitas fraquezas.»

(José Riço Direitinho, Ípsilon – Público)

«Escrita aparentemente simples, mas com momentos quase poéticos que realçam a complexidade do conteúdo. Momentos de forte intensidade emocional a equilibrar um lado introspectivo em que as reflexões surgem dos actos. E um cenário onde o percurso das personagens que o habitam é caracterização suficiente para definir as complexidades da vida. Tudo isto faz de Os Cães uma obra impressionante. Muito bom.»

(Carla Ribeiro, As Leituras do Corvo)

Recensões:

Time Out Lisboa nº238 (por Hugo Pinto Santos)

(Clique para aumentar.)

Atual (jornal Expresso) de 12 de maio de 2012 (por Ana Cristina Leonardo):

(Clique para aumentar.)

Suplemento Ípsilon (jornal Público) de 26 de maio de 2012: entrevista a Ola Nilsson e recensão ao seu livro Os Cães (por José Riço Direitinho).

Recensão:

(Clique na imagem para a aumentar.)

Entrevista:

(Clique na imagem para a aumentar.)

Por Carla Ribeiro, no seu blogue (link): Recensão a Os Cães no blogue As Leituras do Corvo

Advertisements
Posted in: Sem categoria