Recensão a «Os Cães», de Ola Nilsson, na Time Out Lisboa

Posted on 18/04/2012


Excelente recensão a Os Cães, de Ola Nilsson, na Time Out Lisboa.

«Saúde-se, à cabeça, a campanha da editora Eucleia pelo terreno por explorar da literatura nórdica: Erling Jepsen (Dinamarca), Alexander Kielland (Noruega), Hjalmar Bergman, Kjersti Annesdatter Skomsvold e, agora, Ola Nilsson (Suécia).
Romance breve, devastadoramente directo ao assunto, Os Cães forma a primeira parte de uma trilogia (com Os Anjos e No Amor Se Ancora a Memória). Lê-lo é sofrer o embate de «palavras tão duras quanto punhos e palavrões» (p.103). Nem um nem outro faltarão: Nilsson abre as hostilidades com uma perturbante mas impecável descrição de um Filip sovado.
Os Cães segue os passos marginais de 5 adolescentes atolados no álcool e na droga, numa ética de matilha entregue aos instintos. A febre de ser novo contrapõe-se, de modo prodigioso, à firmeza de uma escrita capaz de dar a desolação sem desmaiar, nem deixar esmorecer o rigor da construção. Como uma navalha, tem sempre um lado que corta e um que é cego – «Vira a cara para o vento e deixa-se ser acariciado enquanto emborca metade da cerveja com um trago» (p.67) Assim, em vez de sentimentalismo e moralidade, a crueza sóbria de certo real. Livre de aditivos.
O protagonismo giratório e alucinado do romance nunca leva a que o leme narrativo deixe naufragar a nau, por mais dura que seja a tormenta. Mesmo a banalização do sexo, a miséria, o beco sem saída do tempo, são mantidos sob controlo, por via da segurança artística do autor.» (Hugo Pinto Santos)

Advertisements
Posted in: Sem categoria